6 cases de uso de dados que otimizaram resultados

Empresas que usam dados para orientar decisões e otimizar resultados veem seus indicadores de eficiência aumentarem.

data

O uso de dados de maneira inteligente vem trazendo benefícios para empresas de diversos ramos e melhorando seus processos e resultados. Os dados proporcionam conhecimento sobre a audiência que permite campanhas de acordo com os hábitos de navegação e as preferências do internauta, entrega de conteúdo adequado, aprimoramento de proposta comercial, personalização de ofertas e relatórios mais ricos.  A Navegg coletou informações e depoimentos de seis grandes players do mercado que estão tendo muito sucesso com a utilização dessa estratégia.

 

Cadreon – Aplicação de dados em mídia

Cadreon é uma unidade de mídia programática que gerencia campanhas para agências e anunciantes combinando tecnologia, dados, inventário e inteligência para entregar soluções de ponta a ponta. Em seu caso, o uso de dados está presente em todo o processo de operação de mídia, focado na compra de audiências ao invés de canais. Na definição do target, acontece o match entre o que foi definido previamente e o que foi descoberto por meio dos insights extraídos da plataforma DMP. Por fim, a execução é suportada pela escolha dos segmentos que ajudaram a campanha a ser mais assertiva.

“O pilar de dados sempre foi peça fundamental para garantirmos maior qualidade em nossas entregas. Dentro desse cenário, a Navegg provou-se como um importante parceiro, especialmente no fornecimento de informações comportamentais, as quais complementam grande parte de nossas campanhas. A busca por maior assertividade é constante e, no meu entendimento, um desafio compartilhado com a Navegg.” – relata Walter Motta, Co-Diretor Geral da Cadreon.

 

Zoom in.tv – A união do programático e do vídeo

Observando a crescente adesão aos vídeos, muitas empresas aderiram a essa modalidade para se diferenciar dos demais e prosperar. No segundo semestre de 2014, cerca de 38,2 milhões de vídeos foram vistos. Esse número é 43% maior em relação a 2013. Por isso, o vídeo está se tornando mainstream e para anunciar com ele é preciso usar dados para segmentar as campanhas e atingir o público-alvo desejado. Dessa maneira, o uso de dados permite que a Zoomin.TV entregue as campanhas com muito mais assertividade para seus clientes.

“Usar dados aumenta a assertividade do targeting de uma forma inédita. Conseguimos entregar o vídeo para o cliente  desejado, por meio de clusters de comportamento pré-definidos somados aos filtros da plataforma por site, canal, contexto e geolocalização.”, relata Guilherme Vitullo, Key Account Manager da ZoominTV.

 

Estadão – Mudança no modelo comercial

O Estadão usa dados para conhecer melhor quem são os leitores do seu portal de notícias. Essas informações são valiosas em defesas de mídia pois mostram que o público escolhido pelo anunciante é ativo dentro do site e a entrega de publicidade ocorre de maneira direcionada e eficiente. Além disso, os dados transformam o modelo comercial pois transformam inventários genéricos em inventários específios, ou seja, permitem que a segmentação ocorra não apenas por contexto mas também por perfil de audiência.

“Por meio do uso de dados, conseguimos explorar de maneira mais assertiva, públicos e comportamentos presentes no nosso ambiente online diariamente. A gama de negócios e oportunidades aumentou e o conhecimento desses públicos, antes desconhecidos, fez com que os executivos pudessem explorar investimentos antes não direcionados ao site, por meio de agências e clientes diretos.”, destaca Ricardo Navas, coordenador de Publicidade Digital do Estadão.

 

CVC – Conhecimento sobre o internauta

Já a CVC usa dados para entender o comportamento do internauta e acessar informações que vão além dos dados demográficos. A empresa conhece o consumidor a nível de intenção de compra, poder aquisitivo, motivação de compra, entre outros. Assim, conseguem personalizar a oferta e a mensagem da comunicação oferecendo pacotes que combinam com o perfil do internauta.

“O uso de dados nos permite alinhar a oferta não só com o poder aquisitivo do internauta mas também com o seu perfil comportamental. Dessa forma, conseguimos entregar ofertas mais assertivas independente do tipo de viagem que o internauta se interesse e usar argumentos de venda que realmente façam sentido para aquele perfil”, conta Marcio Malta, gerente de marketing  online da CVC Viagens.

 

Rubicon – Oferta de campanhas segmentadas

 

A Rubicon Project é uma empresa com a missão de automatizar o processo de compra e venda de publicidade, com atuação global e soluções para as duas pontas do processo: publishers e anunciantes. A Rubicon entende que dados são um asset valioso, principalmente para o publisher que deve usar os dados de 1st, 2nd e 3rd party como um diferencial para atender as necessidades dos anunciantes e viabilizar campanhas segmentadas. Já os anunciantes, podem usar dados para criar uma experiência agradável aos seus consumidores, em que eles recebam ofertas que realmente fazem sentido para eles.

 

Samba Vídeos – Dados para relatórios mais completos

O Samba Vídeos é uma plataforma de vídeos que gerencia a logística digital de ponta a ponta, desde quando a mídia sai da câmera até ser distribuída para o público na internet. Trabalhando com Big Data e mineração de dados, o Samba Vídeos apresenta informações sobre o consumo dos vídeos e o perfil da audiência – gênero, idade, estado civil e preferências dos espectadores. A importância de disponibilizar esses dados para os clientes é que com esses números é possível ter um raio-x de como e por quem o conteúdo é assistido e, assim, moldar a estratégia de vídeos online.

uso de dados-samba

 

“O mundo digital permite atingir milhões de pessoas onde quer que elas estejam. Atrelado a isso é muito importante saber como a mensagem é consumida e por qual perfil de internauta. O uso de dados no módulo Analytics da Samba Vídeos permite que o cliente tenha em mãos mais informações sobre o seu negócio e, assim, possa direcionar o conteúdo das mídias além de segmentar os anúncios nos vídeos para um determinado público, sendo mais assertivo e relevante”, explica Pedro Filizzola – CMO da Samba Tech.

 

Leia também

A lebre, a tartaruga e os dados

O que a fábula da lebre e da tartaruga tem a ver com dados e investimento em publicidade.

Dados – o norte da publicidade e do marketing

Pesquisa feita produzida e publicada pela GDMA e pelo Winterberry Group, com o patrocínio da MediaMath, revela a importância do uso de dados na [...]

Lookalike: público semelhante, novos resultados

Lookalike atinge novos alvos com a finalidade de ampliar alcance e conversão.