Gartner Hype Cycle e o Marketing Digital em 2020

O ano de 2020 chegou como um furacão, a pandemia explodiu e, com ela, a necessidade de adaptação a esta nova realidade. Assim como todos os setores da economia, o marketing digital também sofreu muitos impactos e precisou se adaptar.

Recentemente foi divulgado um novo Gartner Hype Cycle, uma metodologia que representa graficamente as etapas de maturidade de novas tecnologias e produtos digitais, trazendo insights sobre eles e sua relevância para exploração de novas oportunidades de negócios. Analisando o gráfico de 2020 conseguimos acompanhar algumas movimentações importantes do mercado e como as tendências apontadas tiveram grande foco neste momento de adaptação. 

 

 

Listamos 4 destas tendências com uma análise individual de cada uma. São nomes, produtos e tecnologias que estão muito presentes no dia a dia do nosso mercado. 

 

1. Personificação 

Quando falamos em personificação já estamos olhando para o mundo pós-cookies 3rd party, onde é preciso pensar cada vez mais em não individualizar usuários mas sim personificá-los.

Essa tendência vem da busca dos usuários por maior privacidade na rede e seguida da criação de legislações específicas em diversos países, como a LGPD sancionada no Brasil em 2018.  

A LGPD está entrando em vigor, e suas normas vêm trazendo mais transparência e segurança para os usuários.

O mercado precisa fugir de dados sensíveis, assim como não explorar apenas dados demográficos, agrupar os usuários por características semelhantes traz novas possibilidades para encontrar quem se busca. Estratégias de personificação de usuários estão alinhadas com a coleta e classificação de dados 1st party nas plataformas de DMP. Conhecendo as características predominantes dos seus usuários torna possível agrupá-los para atingir esses clusters em outros momentos.

 

2. Mobile Marketing

Estratégias de Mobile Marketing estão presentes já há algum tempo no marketing digital, porém, neste período de pandemia, houve um grande e rápido crescimento no uso destas tecnologias. Este foi um formato em que muitas marcas conseguiram se adaptar rapidamente para encontrar seus clientes.

Lives acontecendo a todo momento trouxeram os QR codes novamente ao cenário, catálogos enviados através de aplicativos, como Whatsapp fizeram as lojas encontrar os seus targets, envio de SMS e e-mail marketing se tornaram simples. Com tantas plataformas gratuitas, não apenas as grandes marcas como as menores também conseguiram utilizar dessa estratégia para buscar seus consumidores e conquistar bons resultados. 

 

3. Brand Safety

As marcas estão exigindo mais controle quanto às páginas que seus anúncios serão exibidos. Elas precisam estar condizentes com os valores que a marca quer passar e que os usuários buscam. O termo “cancelamento” nas redes sociais está em alta, e nenhuma marca quer ser a próxima da fila. 

Recentemente o Google retirou mais de 600 mil páginas do ar, divulgações da página Sleeping Giants fez com que grandes anunciantes retirassem suas verbas de publicidade de redes sociais, blocklists estão cada vez com mais páginas de conteúdo inapropriado. Essas são algumas das demonstrações de que as marcas estão em busca de segurança na entrega e não vão abrir mão disso.

 

4. Ad Verification

A preocupação das marcas com a entrega de campanhas para humanos e não para robôs envolve um fator muito importante, os custos. Os valores de CPM, CPC, CPA envolvem acréscimos conforme o planejamento. Impressões não vistas por humanos também geram custos com campanhas de retargeting, validações de cadastro, processamento de leads e call centerers. Todas estas entregas feitas para robôs aumentam ainda mais os custos finais das campanhas.  

Além disso, ainda temos a questão da viewability. De que adianta impressões em um local onde os usuários não visualizam? 

Duas métricas que dificilmente terão 100% de sucesso em entregas, mas que, dependendo do planejamento podem ter melhores resultados:

  • Adicionar segmentos antifraude como o VHT da Navegg nas campanhas pode aumentar o seu CPM instantâneo, porém reduzir o CPM real da campanha;
  • Programar as entregas com cautela e listas corretas podem ajudar a aumentar o seu percentual de viewability.  

 

Este ano trouxe muitas mudanças e nunca o marketing digital se adaptou tão rápido. Assim como as tendências apresentadas já estão sendo testadas e utilizadas por diversas marcas, nos próximos meses novas devem surgir e seguir o mesmo caminho. 

A Navegg vai ficar de olho nestas novas tendências que surgirem, para manter você sempre atualizado. 

 

Leia também

2017 Gartner Hype Cycle for Digital Marketing & Advertising

Como já é tradição, vamos analisar a edição de 2017 Gartner Hype Cycle – a consultoria americana de tecnologia dedicada a analisar vários setores [...]

8 tendências para 2017

A Navegg fez um estudo e apresenta as 8 tendências para 2017 e o marketing digital.

Navegg lança 55 novos segmentos de Moda e Beleza, Viagem e Turismo e Veículos

Confira os novos segmentos da Navegg já disponíveis para ativação.