Glossário

No Glossário da Navegg você pode tirar suas dúvidas sobre as principais palavras e siglas do mundo do marketing digital. Confira:

Ad blocking: mecanismos instalados por internautas para evitar que anúncios sejam exibidos.

Ad Exchange: plataforma que auxilia no processo de compra e venda do espaço publicitário por meio de leilões em tempo real (RTB).

Ad Networks: rede que compra o inventário de sites verticais e disponibiliza para comercialização de publicidade.

Ad Server: sistema que monitora, gerencia e entrega campanhas para os sites, por meio de banners, usando uma inteligência que melhora o alcance dos anúncios.

Ad Tech/ Advertising Technology: tecnologias, softwares e serviços desenvolvidos para servir o ambiente de publicidade online. Por exemplo, Ad Server, DSPs, Ad Exchange, Trading Desk, DMP e outros.

Behavioral Targeting: segmentação do consumidor de acordo com o seu comportamento online. Com o behavioural targeting é possível individualizar o público-alvo, criar campanhas direcionadas, saber por onde seus possíveis leads trafegam e como alcançá-los.

BI: Business Intelligence ou inteligência de negócios – é um processo de tecnologia orientado à análise de dados. Com o BI, é possível transformar uma grande quantidade de dados em informações úteis que ajudam em decisões mais estratégicas.

Big data: processo de armazenamento de um grande volume de informações com maior velocidade. Isso envolve etapas de análise, captura e curadoria da informação.

Black-list: lista de sites nos quais uma agência ou um anuinciante decide que seus anúncios NÃO poderão ser impressos. Por exemplo, sites conteúdo violento, pornográfico, terrorista e outros.

Buyer Persona: personagem que criamos com base em informações de clientes e prospects reais. Esses personagens servem de base para muitas estratégias de marketing e vendas.

CMS: Content Management System. Ferramentas para a criação de páginas na web e gerenciamento de conteúdo.

Conversão: ação definida por uma empresa para representar a geração de resultados.

CPA: Custo de aquisição. Modelo baseado por desempenho. Nele, o anunciante paga apenas quando há conversão.

CPC: Custo por clique. É o valor pago por cada clique em uma campanha.

CPM: Custo por mil impressões. Preço pago a cada mil impressões, ou seja, a cada mil vezes que o banner é veiculado.

Criativo dinâmico: um anúncio cujo conteúdo e/ou formato são alterados em tempo real de acordo com o espaço em que será inserido, o perfil de internauta que o visualizará e outro fatores.

Cross Device: tecnologia que permite cruzar o comportamento de navegação do internauta em diferentes dispositivos.

CRM: Gerenciamento de Relacionamento com o Consumidor. Um sistema para gerenciamento de futuros e atuais clientes.

CTR: Click-through rate. Também chamada de taxa de cliques, é uma forma de mensurar o sucesso de uma campanha de publicidade online. Divide-se o número de cliques pelo número de impressões, descobrindo assim a taxa de conversão.

Data-Driven marketing: marketing orientado pelos dados de audiência. Ou seja, decisões, estratégias e ações realizadas com base nas informações sobre o cliente.

Data Provider: ou provedores de dados transformam a internet em uma estrutura de dados, que após processados, indicam insights para tomadas de decisão.

Demand Generation: Geração de Demanda. É o foco de programas de marketing selecionados para conquistar consciência e interesse nos produtos/ serviços da companhia. Mais utilizado em negócios B2B, B2G ou negócios ao consumidor final com longos ciclos de vendas.

DMP: Data Management Platform. Tecnologia que coleta, organiza e ativa os dados fornecidos por meio de first ou third party. Com o DMP, é possível analisar as informações de um lugar só. Os anunciantes utilizam essa tecnologia para realizar campanhas direcionadas. Já os Publishers, podem qualificar o seu inventário com as informações disponibilizadas pelo DMP.

DSP: Demand Side Platform. Plataforma que dá suporte para as agências, anunciantes e trading desks no momento da compra do inventário dos portais ou Ad Exchanges.

First Party Data: dados baseados no comportamento, ação e interesses do consumidor nas propriedades digitais da empresa. Ou seja, são informações coletadas da sua própria audiência.

Fraude na publicidade online: ocorre quando um anúncio não é impresso para um ser humano, mas sim para um robô.

Funil de conversão: ferramenta que analisa cada etapa de visita de um site e em qual dela o usuário deixou a página. A análise dessas informações é essencial para reduzir a evasão no processo de conversão e para fazer com que esse processo seja simples para o consumidor.

Impressão: é cada vez que um anúncio é entregue, ou seja, aparece num site.

Inbound Marketing: estratégia para atrair o consumidor para a marca, por meio do marketing de conteúdo.

Inventário: conjunto de espaços publicitários que um portal tem para vender.

Inventário premium: aquele que é mais valorizado por agências e anunciantes pois está associado a uma audiência de poder aquisitivo maior (exemplo: seção de economia) ou por nichos importantes para a publicidade (exemplo: seção de moda e beleza) e, por isso, tem baixa dispersão.

Inventário ROS: aquele que é menos valorizado pois não está associado a nenhum público específico.

Jornada de compra: estudo das etapas que um consumidor percorre até chegar no momento de efetuar a compra.

Lookalike: processo realizado na segmentação de campanhas que alcança consumidores com hábitos de consumo semelhantes aos dos atuais clientes.

Marketing digital: esforços de marketing usados para atingir o consumidor no meio online e/ou digital. Por exemplo, SEO, Mídias sociais, e-mail marketing, mobile marketing, compra de espaços publicitários de sites e outros.

Métricas de Viewability: aquelas que visam mensurar não só quantos anúncios foram impressos, mas sim efetivamente vistos por internautas.

Mídia Kit: apresentação comercial de um blog ou portal. Serve para apresentar o site, suas características e quem o acessa a fim de convencer os anunciantes que aquele é um bom lugar para anunciar.

Mídia Programática: compra e venda de mídia automatizada por meio de plataformas como DSPs. Geralmente, esse processo é realizado por meio da tecnologia RTB (real time bidding).

Modelo de atribuição:  método sofisticado utilizado para compreender o processo de decisão de compra de forma holística. Ou seja, analisando toda a jornada de compra do consumidor e todas as interações que ele teve com a marca antes de efetuar a compra, não apenas o last-click.

Monetizar: ato de realizar ações que farão com que se ganhe dinheiro com um site, blog ou aplicativo.

Outbound Marketing: forma tradicional de marketing que atinge o consumidor ao invés de atraí-lo para a marca.

Política de privacidade: um capítulo dos termos de uso de um site ou aplicativo que esclarece ao internauta como são coletadas, armazenadas, aplicadas, protegidas e compartilhadas as suas informações.

Publicidade nativa: publicidade cujo formato e layout se assemelha à plataforma ou ao site onde está inserida.

Retargeting: forma de publicidade online que ajuda a resgatar os clientes que já obtiveram interesse em um produto de sua empresa. Com um cookie, é possível analisar a navegação do internauta e atingí-lo novamente em outros sites.

ROI: Return on Investment. Cálculo do custo-benefício com relação aos investimentos. A fórmula utilizada é: lucro líquido – custo do investimento/ custo do investimento. Não se pode esquecer dos custos indiretos e dos riscos.

RTB: Real Time Bidding. Processo de compra de mídia em tempo real. No RTB, a venda de mídia segmentada custa mais, já que os anúncios são direcionados ao público-alvo segmentado da campanha.

Second Party Data:  São informações de first party compartilhadas. Ou seja, empresas parceiras que disponibilizam seus próprios dados.

Segmentos de audiência: características de internautas que podem ser usadas em campanhas, personalização de sites e outras ações de marketing digital para destiná-las a um perfil de público específico.

SSP: Supply Side Platform. Sistema que auxilia os publishers na hora de vender seu inventário. O SSP monetiza o inventário não vendido.

Third Party Data: Dados gerados por meio de outras plataformas. Podem ser dados inferidos ou observados. Data Providers fornecem este tipo de dado.

Trading Desks: ATD. Empresa que atua como gestora de soluções como as DSPs, intermediando e realizando o processo de compra e otimização de campanhas no processo de RTB.

Whitelist: trata-se de uma lista de sites nos quais uma agência ou um anunciante decide que seus anúncios DEVEM ser impressos por conta do conteúdo que possui e que combina com a temática do anúncio ou com o perfil do público-alvo.